});

Eleições 2020 tem possibilidade de ser prorrogada para 2022

As eleições previstas pelo calendário eleitoral para outubro deste ano de 2020 poderão ser prorrogadas para o ano de 2022, com a consequente prorrogação de mandatos de vereadores, prefeitos e vice-prefeitos.

Esta ideia vem ganhando corpo entre políticos que consideram difícil a realização de eleições normais ainda este ano com as turbulências que poderão ser causadas na vida do país pela eclosão do Corona Vírus.

Dirigentes partidários também consideram saudável à vida política a eleição de vereadores, prefeitos, deputados estaduais, governadores, deputados federais, senadores e presidente da República coincidindo na mesma data, ao invés da realização de eleições a cada dois anos, para efeito de racionalização e redução de custos de campanha.

Dirigentes partidários estão consultando suas lideranças para sentir o pensamento geral. A resistência a esta ideia está, principalmente, nos políticos que serão candidatos a prefeito e vereadores que não aceitam mudar seus projetos eleitorais previstos para este ano de 2020. Desta consulta resultará a decisão que os partidos tomarão sobre a adesão ou não da prorrogação da eleição deste ano.

O pleito previsto para ser realizado no Mato Grosso do Sul já foi adiado pelo TSE. Entre os cenários analisados por lideranças políticas está o de adiar as eleições de outubro próximo pela provável impossibilidade de ser desenvolvida uma campanha normal com as restrições impostas pela crise do corona vírus, que impede deslocamentos e concentração de pessoas., entre outros.

Os juristas não vêem esta questão como uma tarefa fácil uma vez que a decisão passaria pela votação de uma emenda constitucional-PEC que permitisse a prorrogação dos mandatos. Há correntes que apontam também como possível solução para haver a eleição ainda em 2020 o adiamento do pleito para novembro deste ano, onde, espera-se, os efeitos de turbulência causada pelo COVID 19 já tenham sido reduzidos e haja a volta da normalidade no país.
Na realidade estamos diante de uma encruzilhada, para as cidades que tem prefeito bem avaliados pela população, seria uma benção, porém para as cidades que tem prefeitos mal avaliados, que são a grande maioria, seria muito ruim. Nesses casos o povo está contando os dias para se livrarem dos maus gestores, que na maioria dos casos existem denúncias de malversação dos recursos públicos. Além da crise devido ao coronavírus, ter ainda que suportar por mais dois anos um gestor que o povo está ansioso para se livrar, o sofrimento será em dose dupla.

INFORMAÇÕES – PhotoJornalismo

Facebook Comments