Cássio para Diego Souza de novo e Corinthians supera SP nos pênaltis

Foi sofrido, com direito a um gol aos 47 minutos do segundo tempo e disputa de pênaltis em Itaquera. Em desvantagem no confronto, o Corinthians só conseguiu fazer 1 a 0 no São Paulo no apagar das luzes, com gol de Rodriguinho de cabeça. A Arena explodiu de olho no que estava por vir. Com direito a um erro de Diego Souza, que volta a falhar de forma marcante diante de Cássio, o time alvinegro fez 5 a 4 nas penalidades máximas e está na final contra o Palmeiras, reeditando uma final que não acontece desde 1999.

Além de Diego Souza, que perdeu a primeira cobrança do São Paulo, Liziero desperdiçou o chute decisiva, já nas alternadas, em nova defesa de Cássio. Rodriguinho havia falhado pelo time da casa na segunda série – o goleiro Sidão evitou o gol.

O desfecho, tenso, replicou o que foi todo o confronto, marcado pela troca de farpas entre Fabio Carille e Diego Aguirre na partida de ida. Diante de um estádio lotado em Itaquera, os dois times se estranharam desde os primeiro minutos, com muitas jogadas ríspidas e até um tumulto no começo do jogo. Com uma marcação forte, o São Paulo conseguiu neutralizar as principais jogadas do Corinthians. O gol alvinegro saiu na bola parada: Clayson bateu escanteio para Rodriguinho cabecear e marcar.

Com a definição da semifinal, o primeiro jogo da decisão contra o Palmeiras será na Arena Corinthians, no próximo sábado, às 16h30 (de Brasília). O jogo de volta ocorrerá no Allianz Parque, no fim de semana seguinte, mas sem data exata definida.

continua depois mídia

Os melhores

Se o Corinthians conseguiu pressionar o São Paulo, principalmente no segundo tempo, a habilidade de Pedrinho e a visão de jogo de Maycon contribuíram bastante. Rodriguinho, mesmo estando com limitações físicas pela contratura na coxa direita, também deu fluidez ao meio de campo e acabou sendo herói no tempo normal. Nos pênaltis, Cássio foi o herói. No São Paulo, o dono da noite foi Nenê, com belos dribles e ficando no quase em dois golaços. O garoto Liziero, cada vez mais adaptado ao time profissional, mais uma vez se destacou, embora tenha fechado a noite como vilão pelo pênalti perdido.

Os piores

Do lado são-paulino, quem esteve mais abaixo na partida foi Reinaldo. O lateral-esquerdo até mostrou firmeza, mas cometeu alguns erros causados por desatenção. Petros, embora tenha sido muito eficiente nos desarmes, teve pouca precisão nos passes e freou a transição ofensiva da equipe. Acionado no fim, Diego Souza só conseguiu criar uma boa jogada e ainda perdeu pênalti em novo embate com Cássio, seu algoz na Libertadores de 2012 pelo Vasco da Gana. Já entre os corintianos, Gabriel viveu a jornada mais infeliz. Mal apareceu no ataque e não conseguiu encontrar Nenê para marcar.

Operação de guerra

Os dois clubes montaram estratégias para tentar reforçar seus elencos para o jogo desta quarta. Fagner e Rodrigo Caio voltaram juntos da Alemanha, sendo que o corintiano foi incluído horas antes da partida na lista de relacionados – o são-paulino já estava convocado, mas ficou apenas no banco de reservas. O Corinthians ainda surpreendeu ao incluir Romero, que voltou também às pressas após defender o Paraguai em amistosos, e Rodriguinho, que tem contratura na coxa direita, não atuou no domingo e nem treinou com o grupo nesta semana.

Presentes da paz?

Fábio Carille cumpriu o que prometeu no domingo passado, no Morumbi. Irritado por não ter sido cumprimentado pelo técnico do São Paulo, Diego Aguirre, o comandante do Corinthians levou um presente para o rival em Itaquera: um kit do Alvinegro para o uruguaio, que retribuiu com um pacote são-paulino semelhante. Os kits possuíam camisas dos clubes e informações sobre a partida na Arena Corinthians. Carille tem entregado esse tipo de presente desde o clássico com o próprio São Paulo na primeira fase do Paulistão.

Lorena Oliveira

Lorena Oliveira | Comunicadora Editora Foco de Notícias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.