Por falta de médico em Itamaraju, bebê vai parar na UTI de Teixeira

Mais um caso grave expõe o descaso da saúde pública no município de Itamaraju, extremo sul do estado, cidade que é governada pelo médico Marcelo Angênica (PSDB). Segundo a denúncia publicada nas redes sociais pelo pai de um recém nascido, sua filha encontra-se na UTI da cidade de Teixeira de Freitas complicações pós parto por conta da falta de médico obstetra em Itamaraju para realizar o parto quando a mesma deu entrada na unidade hospitalar.

Segundo o relato do jovem Giovani Santos, ele levou sua esposa gestante em trabalho de parto no último dia 20 ao hospital de Itamaraju por volta das 7:00 horas da manhã. De acordo com ele, duas horas após dar entrada a esposa teria sido enviada para casa. No entanto, já por volta das 13:00 horas as dores se intensificaram e então eles decidiram voltar ao hospital.

Ao retornar à unidade hospitalar os profissionais presentes teriam feito os procedimentos de estimulação para que o parto fosse normal, porém não obtiveram sucesso. O pai ainda relata que entrou em desespero ao perceber que não havia médico obstetra para realizar o parto cesariano de sua esposa, então solicitou transferência para o município de Teixeira de Freitas.

De acordo com o relato do pai, somente após 14 do primeiro atendimento que sua esposa foi transferida para a cidade de Teixeira de Freitas onde deu a luz 20 minutos após a internação. Segundo Giovani, devido ao atraso a sua filha teve complicações encontra-se na UTI. “Devido a enrolação do HMI (hospital de Itamaraju) a bebê passou da hora de nascer e hoje ela está na UTI com problemas respiratórios e infecção devido a inalação de fezes com resto de parto”.

Em outro trecho ele ainda diz que acredita que a falta de médico em Itamaraju agravou a situação de sua filha e ainda manda um recado para outros pais: “Fica aqui minha indignação com a direção do Hospital Municipal de Itamaraju, talvez se tivesse um médico obstetra no hospital a minha bebê não estaria passando por essa situação desagradável e teria nascido na hora certa. Vocês pais fiquem em alerta”, desabafou o pai da criança.

O caso do jovem Giovani soma-se a quase outras 30 denúncias supostos casos de negligência e erros médicos contra a saúde do município de Itamaraju, cidade ironicamente governada pelo médico Marcelo Angênica (PSDB). O prefeito eleito em 2016 teve como bandeira principal da campanha a melhoria da saúde pública. Recentemente uma avó utilizou as redes sociais para denunciar a morte do seu neto que teria sido provocada pela aplicação de medicação errada. Ela procurou o Ministério Público que apura o caso.

INFORMAÇÕES – Foco no Poder

Lorena Oliveira

Lorena Oliveira | Comunicadora Editora Foco de Notícias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.