Em defesa da saúde, movimentos sociais, sindicais e partidários se unem em manifesto no Extremo Sul





O ato em defesa da Saúde Pública teve início nesta quarta-feira 7 de abril em Teixeira de Freitas no Dia Internacional da Saúde.

Neste dia, faixas pretas caracterizando o luto acompanhadas de cruzes, fizeram memória as mortes em decorrência da Covid-19 em todo o país.

A ação encabeçada por vários movimentos sociais teve como coordenador Alimelque Fernandes, o “Zulu”, Thomaz Edson Andrade Presidente PT TX VEREADOR COUTINHO e JOSÉ GOMES dirigente estadual do MST MARCELO MOTO TÁXI, lideranças de outros movimentos seguem até o próximo dia 12, visando todos municípios do Extremo Sul com a intenção de chamar a atenção do Governo do Estado e Federal, mais precisamente para a região, com incentivo ao empresário através da isenção de impostos, fortalecimento do SUS e do pagamento do Auxílio Emergencial.

Zulu explica que, movimentos sociais, sindicais, artísticos e culturais, TAIS COMO MST, CUT, PT, CANDEEIRO URBANO Sindicato dos bancários, construíram como pauta uma série de reivindicações pacíficas com intuito de pedir mais respeito do Presidente Jair Bolsonaro com relação às ações contra a Covid-19.

Nessas ações foram distribuídas máscaras e mudas de árvores nativas da região.

Além disso, Zulu conta que está sendo criada uma série de Live com artistas e músicos de região na tentativa de arrecadar alimentos e contribuir com famílias carentes que não foram amparadas pelo Auxílio Emergencial do Governo Federal, e lutar por um sistema de amparo social dado pelos municípios do Extremo Sul, onde visa isenção fiscal e incentivo financeiro.

Estamos vivendo tempos de terra arrasada, descaso na saúde, péssima gestão da crise, desemprego galopante e a fome volta atacar. Essa é a realidade do governo fracassado de Bolsonaro”, argumenta Thomaz Edson Andrade, presidente do Partido dos Trabalhadores de Teixeira de Freitas.

Ednaldo Rezende, secretário municipal do PSB, defende a unidade das frentes progressistas pelo bem da nação, “é inadmissível ver o nosso país no topo do mundo na pior condução do enfrentando frente a pandemia do novo coronavírus, no momento em que registramos 4 mil mortes diária, totalizando até o momento 320 mil mortes e um aproximado de 13.000.00 de casos, ou seja, a condução política sanitária é uma política suicida, temos que dizer não a esta política genocida do governo federal e apoiar as orientações da ciência. A vacina é o principal remédio juntamente com o distanciamento social e o uso de máscaras para enfrentarmos essa tragédia sanitária e para a recuperação econômica”. Disse

Facebook Comments Box