Sesab monta laboratório em Itabela para acelerar exames nos casos de malária

A Secretaria Estadual da Saúde (Sesab) montou um mini-laboratório na cidade de Itabela para agilizar os resultados dos exames de malária no município. 35 casos já foram confirmados na cidade e um caso em Porto Seguro.

Na manhã desta quinta-feira, 08 de julho, uma reunião virtual com técnicos da Sesab, da secretaria municipal de saúde de Itabela e equipes do Ministério da Saúde para analisar e avaliar as medidas que estão sendo tomadas para o controle da doença na região.

De acordo a secretária de saúde de Itabela, Wadla Cassiano, as medidas foram adotadas imediatamente nos casos positivos e alguns já finalizaram o tratamento. O município não tem nenhum paciente em estado grave ou critico decorrente da malária.

Segundo a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), a malária é potencialmente grave e costuma ser transmitida ao ser humano pela picada de mosquitos infectados pelo parasita. A doença também pode ser transmitida por compartilhamento de seringas, transfusão de sangue e até de mãe para feto, na gravidez.

A malária tem sintomas como febre alta, calafrios, sudorese e dor de cabeça. Além disso, o paciente infectado também pode ter dor muscular, taquicardia e aumento do baço. Geralmente, nos casos letais da doença, o paciente desenvolve o que se chama de malária cerebral.

Ainda de acordo com a Fiocruz, essa evolução da malária pode levar o paciente ao coma, já que também tem como sintomas ligeira rigidez na nuca, perturbações sensoriais, desorientação, sonolência ou excitação, convulsões e vômitos.

Até o momento 163 laminas foram coletadas no assentamento para análise da doença e cerca de 60 já foram analisadas pelo laboratorista vindo de Itapetinga para ajudar nos casos. Técnicos especializados em entomologia também estão no local para analisar o mosquito que está transmitindo a malária. Mosquiteiros chegaram para serem distribuídos aos moradores do assentamento.

Agora a expectativa é para a chegada de inseticidas que matam o mosquito transmissor da doença, o produto é fornecido apenas pelo Ministério da Saúde e já foi solicitado pelo município.

Facebook Comments Box